Os podres de Júlio Severo (um dos piores perseguidores dos LGBT)


O som não é muito bom, mas vale o esforço para ouvir.






Os reais motivos da fuga

Ao alegar como motivo para sua fuga tão somente a sua militância antigay, Júlio Severo falta com a verdade. O pior de tudo é que boa parte de seus defensores, de forma precipitada, compraram essa mentira e passaram recibo de ingenuidade. Mas fontes de seu convívio pessoal relatam que, em verdade, seus problemas com a lei começaram quando um de seus filhos passou a apresentar comportamento estranho na escola onde estudava em Niterói (RJ), replicando o mesmo pensamento ultraconservador do pai nas atividades escolares.

Buscando investigar quais seriam as raízes desse comportamento, uma assistente social se desloca para a residência do Sr. Severo, a fim de verificar a situação, mas é expulsa aos repelões pelo mesmo. Após esse episódio, ele retira o filho da escola e passa a lhe dar aulas em casa, sob a desculpa de que o ambiente escolar era poluído. O Ministério Público Estadual (não o Federal) começa a exigir, junto à Justiça do Rio de Janeiro, que Severo devolva o filho à escola, mas ele resiste. Nesse ínterim, seu advogado peticiona ao órgão julgador, informando que as crianças já estão matriculadas em outra escola. Era apenas um blefe para ganhar tempo e preparar a fuga do país. A história é confirmada pelo Rev. Caio Fábio em um vídeo postado no YouTube (http://www.youtube.com/watch?feature=pl ayer_embedded&v=mbqmXwI2Fi0).
 

Comentários