Brazil – Luiz Mott boycotts LGBT conference in Brasilia saying,: 'we are at rock bottom' as homophobia worsens!

Our world in over 50 original languages from over 60 countries.
Dec152011
To 65 years of age, professor Luiz Mott, founder of the Grupo Gay da Bahia and autodeclamado Dean (the oldest in exercise) Brazilian gay movement, decided not to attend the II National LGBT Conference, that will have its beginning this Friday, em Brasília. The reason for the boycott, India militant that can be considered one of the most important in the country, is the lack of consideration of the Organization and also a form of protest, Since the situation of gays only worsens in country, While the subject does not come out of the scope of conversations and meetings.

"Never before, in the history of this country, many homosexuals were murdered, beaten and died of Aids. Never, as in the past ten years, the Federal Government did so much propaganda, promised wonders, made conferences and working groups and notwithstanding, as I said twice senator Marta Suplicy, "the situation worsened for homosexuals in Brazil: in Argentina has gay marriage, Here is beating!””, militant said in article published on your site. Mott remembers even after 9 years of Government of PT, the situation for gays only worsened. "When Lula began his Government, kill a gay transvestite or every 3 days. With Dilma press news a "homocídio" each 36 hours. While only 1% of heterosexual men are HIV , gays reach 11%, receiving only 0,9% the budget for the prevention of AIDS ", denouncing the Dean.

"As Dean of Brazilian Homosexual Movement, There are 31 years in the forefront of this fight, leader of the Grupo Gay da Bahia and Professor of UFBa, I have experience, competence and independence to denounce: We are at the bottom of the shaft!”, vents the doctor in anthropology that recalls further that the President vetoed the Core Anti-Homophobia and which grossly sexual orientation of gay men, When he said that would be a sexual option. Mott has not been formally invited to the event and complain that he received only the airfare, but with complicated schedules for a person his age. He complains that it was not placed in any official table of the event, Despite its importance as a militant and his resume as a scientist.

As maximum point of their outrage, Mott ends its text warning that will no longer account for the killings of homosexuals in the country, and that goes to the human rights Secretariat such liability. In October, Mott is outraged when a representative of Plateau said that there was no official data on deaths of homosexuals in the country in crimes of hatred and underestimated the work of 20 years of researcher.

Aos 65 anos de idade, o professor Luiz Mott, fundador do Grupo Gay da Bahia e autodeclamado decano (o mais antigo em exercício) do movimento gay brasileiro, decidiu não comparecer a II Conferência Nacional LGBT, que terá seu início nesta sexta-feira, em Brasília. O motivo do boicote, segundo o militante que pode ser considerado um dos mais importantes no país, é a falta de consideração da organização e também uma forma de protesto, já que a situação dos gays só piora no país, enquanto o assunto não sai do âmbito das conversas e reuniões.

“Nunca antes, na história desse país, tantos homossexuais foram assassinados, espancados e morreram de Aids. Nunca, como nos últimos dez anos, o Governo Federal fez tanta propaganda, prometeu maravilhas, fez conferências e grupos de trabalho e não obstante, como disse duas vezes a Senadora Marta Suplicy, “a situação piorou para os homossexuais no Brasil: na Argentina tem casamento gay, aqui tem espancamento!””, afirmou o militante em artigo publicado em seu site. Mott lembra ainda que após 9 anos de governo do PT, a situação para os gays só piorou. “Quando Lula iniciou seu governo, matava-se um gay ou travesti a cada 3 dias. Com Dilma a imprensa noticia um “homocídio”a cada 36 horas. Enquanto apenas 1% dos homens heterossexuais são HIV+, os gays atingem 11%, recebendo apenas 0,9% do orçamento para a prevenção da AIDS”,denuncia o decano.

“Na qualidade de Decano do Movimento Homossexual Brasileiro, há 31 anos na frente dessa luta, líder do Grupo Gay da Bahia e Professor Titular da UFBa, tenho vivência, competência e independência para denunciar: estamos no fundo do poço!”, desabafa o doutor em Antropologia que lembra ainda que a presidente vetou o Kit Anti-Homofobia e que se referiu grosseiramente a orientação sexual dos gays, quando afirmou que seria uma opção sexual. Mott não foi convidado formalmente ao evento e queixa-se que recebeu apenas a passagem aérea, mas com horários complicados para uma pessoa de sua idade. Ele reclama que não foi colocado em nenhuma mesa oficial do evento, a despeito de sua importância como militante e seu currículo como cientista.

Como ponto máximo de sua indignação, Mott termina seu texto avisando que não irá mais contabilizar os assassinatos de homossexuais no país, e que passará à Secretaria de Direitos Humanos tal responsabilidade. Em Outubro, Mott se indignou quando uma representante do Planalto afirmou que não havia dados oficiais sobre mortes de homossexuais no país em crimes de ódios e menosprezou o trabalho de 20 anos do pesquisador.

Comentários

  1. Nossa, que puta falta de educação não ter a minima consideração para pessoa com tamanho conhecimento. Engraçado que essa noite passei horas acordado, conversando com meu travesseiro, sobre a promiscuidade da maioria (acho) dos Gays. Tenho um blog de tirinhas, e essa semana estarei justamente "ironizando" esse assunto. Tá difícil ser homossexual, decente, integro, pessoa do bem enquanto a maioria só quer saber de festa, bebedeira e trepa trepa sem um pingo de noção. Não que tenham que deixar de fazer isso, mas como culpar os outros, pelo lamentável comportamento da maioria (acho) de nós homossexuais?

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário, Homotoon. Realmente, foi uma tremenda falta de consideração não incluir Mott nessas discussões. Agora, sobre a promiscuidade e falta de integridade de muitos, isso não é fenômeno gay. Isso é o que ocorre com a maioria dos brasileiros. Basta colocar mulher, cerveja e futebol que a maioria dos heterossexuais esquece até a mãe morrendo em algum hospital para cair na putaria, pancadaria, etc. Nem por isso, vamos desprezar a preciosa liberdade sexual conquistada até aqui, porque trepar ou não trepar tem que ser sempre uma decisão pessoal. Gostei da sua frase 'não que tenham que deixar de fazer isso'. Eu completaria: 'façam isso sem deixar de cuidar da luta pelos direitos que garantem todas as liberdades civis, inclusive essa'. ;)

    Muitos homossexuais tem se envolvido politicamente na luta por direitos civis. Jovens, adultos maduros e idosos estão mais alertas, ao contrário do que imaginaríamos. As redes sociais mesmo têm se tornado um instrumento para a militância de muitos homossexuais que não são filiados a partidos ou ONGs. Isso é um sinal fantástico de despertamento.

    Precisamos agora é eleger mais gente comprometida com a causa LGBT e que tenha coragem de assumir isso, assim como o deputado Jean Wyllys.

    Mais uma vez, obrigado pelo comentário,
    Sergio Viula

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.