Novela indiana exibe pela primeira vez um romance gay

France Presse

Os atores Dakssh Ajit Singh e Karan Singh, que vivem casal homossexual na novela "Maryada: Lekin Kab Tak"

Novela indiana exibe pela primeira vez um romance gay

MONCHO TORRES
DA EFE, EM NOVA DÉLHI

Pela primeira vez, dois anos após a homossexualidade se tornar legalmente permitida na Índia, uma telenovela se atreve a mostrar uma relação amorosa entre dois homens.

"Se você ama um homem ao invés de sua esposa, que necessidade havia de casar comigo?", pergunta em um capítulo da novela a jovem recém-casada para seu marido, depois de flagrá-lo trocando apaixonados "Te amo" com seu amante.

"Maryada... Lekin Kab Tak" ("honra, mas a que custo?", em hindi) é um drama focado em uma típica família patriarcal de Haryana --cidade no norte da Índia-- envolvendo lutas de poder e confusões amorosas.

A telenovela, que está prestes a chegar a 300 episódios, estreou em outubro de 2010, mas foi só em maio deste ano que introduziu a trama gay, que apresenta um homem recém-casado, primogênito de uma rica família, que se declara homossexual.

"A homossexualidade é uma realidade, existe e devemos aceitá-la", declarou a autora Damini K. Shetty ao jornal indiano "Economist Times" quando a polêmica história surgiu no roteiro.

Transmitida à noite, "Maryada... Lekin Kab Tak" obtinha audiência média de 1% nas primeiras semanas, segundo a revista "India Today", mas entre maio e junho, quando a temática gay foi introduzida, o índice aumentou para 1,2%, até atingir o atual 1,6%.

France Presse  

Os atores Dakssh Ajit Singh e Karan Singh, que vivem casal homossexual na novela "Maryada: Lekin Kab Tak"
O produtor da novela, Tony Singh, disse ao jornal "Indian Express" que se tratava de um experimento. "Mas o fato é que, à medida que difunde a conscientização sobre temas tabu, as pessoas tenderão a ser menos críticas. É a única maneira de evoluir".

Na televisão indiana, já existiram personagens gays, mas apenas em papéis secundários e muitas vezes cômicos e exagerados, com um estereótipo "afetado".

No site da associação Gay Mumbai, a aparição de "Maryada" é comemorada como um "passo adiante", pois, segundo a entidade, "mostra uma ruptura de muitos dos estereótipos existentes na maioria das representações da homossexualidade dentro de Bollywood".

Os atores que interpretam o casal homossexual são Dakssh Ajit Singh, 30, e Karan Singh, 29, que se transformaram em ícones para a comunidade gay na Índia, embora se declarem heterossexuais na vida real.

Segundo o "India Today", o maior receio de Dakssh era romper com sua imagem masculinizada. No entanto, os dois atores acabaram aceitando o papel ao perceber a oportunidade profissional oferecida.

"Se dois atores de Hollywood como Jake Gyllenhaal e Heath Ledger puderam atuar em 'O Segredo de Brokeback Mountain', eu definitivamente poderia aceitar o desafio", destacou Karan Singh.

Embora façam parte da realidade indiana, inclusive nas zonas rurais, os homossexuais foram tradicionalmente discriminados em uma sociedade conservadora, que rejeita a discussão pública sobre a sexualidade. Por isso a televisão abordou o tema apenas após o Tribunal Superior de Délhi entender que a criminalização da homossexualidade violava a Constituição.

Nas ruas da capital indiana, as opiniões sobre "Maryada" se dividiram. A estudante de moda Manisha Dubey, por exemplo, disse à Agência Efe que não compreende o motivo pelo qual a sociedade "não faz o esforço de entender os gays".

"Meus pais abrem cada vez mais sua mente. Eu costumo ver a novela com eles e, embora ainda não cheguem a aceitá-la, estão no caminho certo. Meus avós, no entanto, sei que nunca aceitariam a homossexualidade", explicou a jovem, de 24 anos.

Comentários