Líder da homofóbica organização Love in Action sai do armário


Na placa: Jesus não é desculpa para o ódio


A Impressionante Confissão do Ativista 'Ex-Gay' John Smid

Tradução Sergio Viula
Para o Blog Fora do Armário (http://www.foradoarmario.net)

Por décadas, John Smid havia sido o líder de Love in Action, o infame ministério "ex-gay" que confiscava as cuecas de clientes se as roupas íntimas parecessem gays demais. O radical ministério baseado na cidade de Memphis também usava um cronômetro no banheiro para garantir que os clientes não se masturbassem durante o banho.
  
De todos os ministérios "ex-gay", esse era o mais parecido com uma seita - com Smid mantendo controle absoluto sobre a vida social de seus clientes, que pagavam uma nota para viver no programa residencial.
 John Smid
A gama de controle da mente empregada por Smid para tornar pessoas gays em heterossexuais era impressionante. Em uma entrevista de 1997 com o Memphis Flyer, Smid falou sobre sua própria técnica de negar a realidade: "Estou aquela parede e de repente ela está azul," disse Smid, apontando para uma parede amarela. "Alguém chega e diz: "Não, ela é ouro." Mas eu quero acreditar que aquela parede é azul. Então Deus vem e diz: "Você está certo, John, [aquela parede amarela] é azul." É dessa ajuda que eu preciso. Deus pode me ajudar a fazer aquela parede [amarela] se tornar azul."


Esse alto nível de lavagem cerebral não era raro para os clientes estrela do Love in Action. Por exemplo, Anne Paulk, coautora de Love Won Out (O Amor Venceu), escreveu sobre os jogos mentais que ela jogava para supostamente superar os pensamentos lésbicos: "...Eu começava a experimentar respostas sexuais...Então eu olhava através da janela do carro e dizia algo como: "Puxa, senhor, há uma árvore ali fora! Aquela é verde e tem folhas. Ela tem um casco marrom." Eu fixava minha mente em qualquer coisa que pudesse me distrair...com o tempo, aquele processo me tornou mentalmente disciplinada ao ponto de remover todos os pensamentos lésbicos, ponto." (Eu fotografei o marido dela que foi garoto propaganda num poster "ex-gay" dentro de um bar gay)

É óbvio que tais técnicas podem instilar disciplina para mudar o comportamento sexual temporariamente - mas não a orientação sexual de alguém. Numa impressionante confissão (em inglês) essa semana, Smid disse que alterar a atração sexual de alguém é altamente improvável - de fato, tão improvável que ele alega nunca ter encontrado um único homem ou mulher que tenha se livrado de sua homoafetividade. De acordo com Smid:


Sim, há homossexuais que fizeram mudanças dramáticas em suas vidas enquanto caminharam através do processo de transformação com Jesus. Tenho ouvido estória após estória de mudanças que ocorreram enquanto homens e mulheres encontraram a graça de Deus em suas vidas como pessoas homossexuais. Mas, lamento, esse processo de transformação pode não atingir as expectativas de muitos cristãos. Eu também quero reiterar aqui que a transformação para a vasta maioria dos homossexuais não incluirá mudança de orientação sexual. De fato, eu nunca encontrei um homem que tenha experimentado mudança de homossexual para heterossexual.


Caramba! Se o mito "ex-gay" não funciona nem para Smid, então não funciona para ninguém mais. Afinal, ele tinha uma dedicação incrível, aderiu a uma forma duríssima de fundamentalismo, e reforçou um regime com características de seita sob seu comando. Todavia, depois de anos, ele é confrontado com a desencorajadora realidade de que programas "ex-gay" são programas de marketing da direita religiosa, e não um movimento legítimo.


Desnecessário dizer que deixar o passado completamente para trás não é fácil. Smid ainda está casado com sua esposa e numa jornada para descobrir sua verdade interior. Ele tem um pé na comunidade baseada na realidade e outro num mundo de fantasia. Mas o primeiro passo para deixar sua charada "ex-gay" para trás é admitir que esses programas não funcionam.


Nunca é fácil reconhecer que se está errado, especialmente depois de décadas após décadas de investimento mental, espiritual e financeiro numa grande mentira. Desejo a Smid a melhor sorte em sua contínua evolução e estou feliz que esteja começando a discutir honestamente as limitações dos programas "ex-gay".


O tempo de Smid é maravilhoso, uma vez que candidatos desesperados do Partido Republicano (GOP) estão flertando com a Direita Religiosa discutindo o mito "ex-gay". Por exemplo, no The View (programa da ABC), Herman Cain disse que acreditava que a homossexualidade fosse uma "escolha". O sempre-oponente dos homossexuais Rick Santorum também pulou para o vagão dos "ex-gay" falsamente alegando que existe evidência crível de que as pessoas LGBT podem mudar de gay para heterossexual: "Existem todos os tipos de estudos lá fora que sugerem exatamente o contrário" - declarou Santorum. "E existem pessoas que eram gays, viveram o estilo de vida gay, e não são mais."


Além disso, exsitem aventureiros da ciência como Mark Yarhouse da Regent University que produzem estudos fraudulentos alegando que a mudança de orientação sexual é possível. Eu sugiro veementemente que os promotores dessa política insensível suspendam essa propaganda que já foi longe demais e ouçam Smid.


Mas, obviamente, isso requererá que se coloque as vidas das pessoas à frente das mentiras políticas - então, não espere que isso aconteça muito em breve.
  
----------------------------------

Uma leitura que vai inspirar seu coração. Veja AQUI.....

-----------------------------------

COMENTÁRIO DESTE BLOGUEIRO


"Em Busca de Mim Mesmo" tem tudo a ver com o que esse texto aborda. Ao traduzir esse material, eu pensava: Como o livro é atual! É de fato uma leitura que todos deviam fazer, especialmente pessoas ligadas à educação, política, movimentos sociais, psicologia e áreas afins. Se estivesse em inglês, enviaria um exemplar para John Smid. Ele vai passar por muito do que eu mesmo passei naquela fase de reconhecimento. 

Peça o seu exemplar e aprofunde sua compreensão dessas questões. ;)

Em Busca de Mim Mesmo, do autor Sergio Viula (Foto: Reprodução)

Escreva-me em sviula@hotmail.com

Comentários