Este foi o 162º homossexual assassinado este ano (Foto chocante)


É o 162º assassinato neste ano, o 16º na Bahia!!!



E o Estado do Rio de Janeiro é o único que tem o "tipo" homofobia previsto nos registros de ocorrência das delegacias de Polícia Civil. No Brasil, nenhum outro Estado registra esses crimes assim. Acorda, Brasil! Acorda, Legislativo! Cadê a Lei Anti-Homofobia? 

E para aqueles idiotas que sempre minimizam os ataques e assassinatos homofóbicos, um lembrete: esse cadáver pode ser você amanhã!



Homossexual é morto com extremo requinte de crueldade (Bahia-Brasil)

Postado em 19/09/2011 às 01:28 por 



O trabalhador rural Joelson dos Santos Batista, o “Grande”, de 34 anos, foi assassinado na manhã deste domingo (18/09), na Volta da Cobra, Zona Rural de Itabuna. A vítima foi encontrada nua em uma rua de chão, usando apenas um relógio, próximo a fazenda onde trabalhava.

No corpo de Joelson Batista havia marcas de ferimentos feitos por um facão. Segundo o administrador da Fazenda Luciano Souza, onde a vítima também residia, “Grande” era uma pessoa calma, de bom comportamento e não tinha envolvimento com drogas. “Ele gostava de beber, mas não tinha confusão com ninguém, mesmo bebendo”, lembra Luciano Souza. Ainda de acordo com o administrador, Joelson trabalhava a oito meses no local.

A vítima teria saído da fazenda no sábado à tarde dizendo que ia beber nas proximidades. Uma testemunha, que terá sua identidade preservada, afirmou que Joelson pediu carona para ir até o lixão, mas o carro quebrou perto de uma fazenda e ele, como conhecia as pessoas das redondezas, ficou conversando com um rapaz. “Depois de alguns minutos o carro voltou a funcionar e eu segui para Itabuna com minha família, ele até ajudou a empurrar o veículo e disse que ficaria por ali mesmo”, afirma a testemunha.

Informações obtidas no local revelaram que Joelson era homossexual. Entre os pertences dele, a polícia encontrou uma carteira de identidade em nome de um homem, que não pode ter o nome revelado para não atrapalhar as investigações.

Os policiais civis sob a coordenação da delegada Gildete Vitória realizaram uma vistoria nas proximidades, mas não encontraram as roupas da vítima e nem pista do autor do crime. Eles também foram à fazenda onde o trabalhador rural morava e conversaram com os moradores que disseram que Joelson era uma pessoa tranquila e, aparentemente, não tinha inimigos.

De acordo com informações do Departamento de Polícia Técnica (DPT), o corpo da vítima estava no local a mais de 6 horas.

Comentários