Cantor é assassinado com crueldade em Parintins


Cantor é assassinado com crueldade em Parintins

Omar Faria, irmão do ex-apresentador do Garantido Paulinho Faria, foi estrangulado e morto a facadas em sua casa
Manaus, 02 de Setembro de 2011
JONAS SANTOS

Faca ainda estava cravada no corpo de Omar Faria quando a polícia chegou ao local (Jonas Santos)
PARINTINS, AM – O cantor Omar Faria, 65, foi assassinado ontem, com 27 facadas, dentro da própria casa, em Parintins (a 325 quilômetros de Manaus). O crime apresentou requintes de crueldade, segundo a polícia. Familiares encontraram o corpo, pela manhã, com a faca ainda cravada no coração. Além das perfurações, o artista foi estrangulado. Omar era homossexual assumido e morava com a mãe, Maria Ângela. Ele era irmão de Paulinho Faria, ex-apresentador do boi Garantido.
A polícia ainda não tem pistas do assassino. Policiais trabalham com a informação de um vizinho, que teria visto Omar entrar na casa acompanhado de um rapaz. O suspeito conduzia uma bicicleta. A delegada de Polícia Ana Denise Machado estima que o crime tenha ocorrido por volta das 4h de ontem. O corpo de Omar foi encontrado pelo irmão Antônio, por volta das 8h30. “Fiquei chocado quando vi. Muita crueldade. Fiquei muito triste”, disse Antônio Faria.  
No quarto onde Omar foi encontrado quase tudo foi destruído, o que presume uma possível briga antes do crime, segundo a polícia. Uma toalha também foi encontrado envolta no pescoço da vítima. Dona Maria Ângela suspeitou porque o filho não apareceu para tomar café da manhã com ela, como costumava fazer todos os dias. Depois, ela identificou duas poças de sangue no quintal, avisou os filhos e chamou a polícia. “Foi um crime brutal. Havia também perfurações na testa e no nariz”, disse o médico legista Jorge de Paula.
Omar dormia em um quarto anexo à residência, localizada na orla de Parintins. A casa é um dos pontos de visitação de turistas e torcedores do boi Garantido por conta da excentricidade: casa, mobília e até a piscina são de cor vermelha. Omar cantava MPB e tinha um show agendado para amanhã. Era conhecido também por difundir toadas dos bois na noite de Parintins. A notícia da morte do cantor atraiu dezenas de pessoas à casa vermelha e deixou a comunidade abalada. Os Faria são uma das famílias mais tradicionais da cidade.


------------------------------------------------------------------------

COMENTÁRIO DESTE BLOGUEIRO:

Os crimes de homofobia - que são apenas a estarrecedora ponta desse iceberg de preconceito e discriminação que vai sendo construído todos os dias nas mais diversas esferas da vida pública e privada - precisam ser vistos como um desacato à Democracia, ao Estado Laico de Direito, além de gravíssimo ataque aos Direitos Humanos conforme declaração das Nações Unidas, também assinada pelo Brasil. Por isso, essa carta (segue abaixo) foi enviada à Presidente Dilma Rousseff e à Secretária Maria do Rosário pelo GGB (Grupo Gay da Bahia) no dia 02 de setembro de 2011, logo depois do registro de mais esse crime hediondo. Leia o conteúdo e cobre das autoridades:


1. Que cumpram seu dever de coibir a violência, punindo exemplar e cabalmente os culpados; 


2. Que cumpram seu dever de educar para a diversidade e para a paz; 


3. E que cumpram o dever de garantir o bem-estar do cidadão, seja ele qual for, prestando ainda mais atenção àqueles que estão mais vulneráveis do ponto de vista social, e nesse aspecto os LGBT estão no topo da lista, conforme se vê pelo aumento da violência contra essa parte da população simplesmente por serem LGBT.



Veja a carta e exija que o governo se manifeste em nível federal contra essa carnificina e contra o preconceito e a discriminação que mantém esse status quo.

*******
Salvador, Bahia, sexta-feira 2 de setembro de 2011


Senhoras
Dilma Rousseff
Presidente da República
Maria do Rosário
Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da Republica
Brasília, DF


Senhoras

Ref.; Crimes homofobicos no Brasil – Uma imoralidade que já virou costume no Brasil.


Agente pensava que mulheres e homossexuais tinham mais coisas semelhanças que desigualdades, ao que parece é exatamente ao contrario. Encaminhamos para vossas providencias que em vox populichama-se efeito Dilma e Maria do Rosário, em relação às garantias dos Direitos dos Homossexuais, implementação imediata das ações do Brasil sem homofobia.

Matar homossexuais ta virando um costume no Brasil, talvez seja, como não se discute costumes, preciso reabilitar as Delegacias de Costumes, que prendia homossexuais por vadiagem Brasil a fora e como castigo humilhante mandava que estes fizessem a faxina dos banheiros imundos destas unidades acintosas aos direitos humanos.

Costume, de acordo a presidência e a secretaria de Direitos Humanos devera ser amplamente discutido com a sociedade, consultas amplas, isso deveria servir para tudo inclusive as decisões tomadas nos gabinetes com lideres obscuros que rasgam a Constituição, esquecendo-se que o Estado é Laico. Talvez, seja preciso mesmo consultar a sociedade se os LGBT devem mesmo continuar sendo mortos com requinte de crueldade como este caso, horrível, vergonhoso para o Brasil, um artista de 65 anos assassinados com 27 facadas, meu Deus! Que horrível.

Senhoras, por favor!  Acordem e resolvam isso logo, porque é possível criar de fato um Brasil sem homofobia. A cada dia um homossexual é assassinado no Brasil, graças aos costumes homofobicos fortemente entrelaçados na cultura brasileira, marcada pela exploração do homem sobre o homem, exploração da escravidão que como escreveu Nabuco foi uma nódoa na consciência de todos e que aos poucos essa nódoa tem sido retirada com a mudança do arcabouço jurídico do Brasil. Também não permitam que a homofobia, o ódio contra homossexuais se torne mais uma nódoa na consciência do povo Brasileiro das gerações futuras.

É preciso reparar imediatamente com ações concretas, ajudar a fortalecer os movimentos de afirmação de gênero e diversidade, centros de Referencia, recursos através de editais específicos no governo Federal, nas Estatais como Petrobras, Caixa Econômica, Banco do Brasil.

Relatório Anual de Assassinato de Homossexuais de 2010 do Grupo Gay da Bahia indicaram 260 assassinatos de gays, travestis e lésbicas no Brasil no ano passado, 62 a mais  que em 2009 (198 mortes), um aumento 113% nos últimos cinco anos (122 em 2007). Dentre os mortos, 140 gays (54%), 110 travestis (42%) e 10 lésbicas (4%). O Brasil confirma sua posição de  campeão  mundial de assassinatos de homossexuais: nos Estados Unidos, com 100 milhões a mais de habitantes que nosso país, foram registrados 14 assassinatos de travestis em 2010, enquanto no Brasil, foram 110 homicídios. O risco de um homossexual ser assassinado no Brasil é 785% maior que nos Estados Unidos.

Senhoras, a cada dia um homossexual é assassinado no Brasil. Não podemos pagar com nossas vidas o preço de nossa orientação sexual. Uma vez um jornalista escreveu em Salvador, “Matar Veados, não é crime, é caçada”. Vejam!  Já se tornou um costume, uma pilheria, entretenimento matar LGBT.  Não dá para viver e ser feliz assim, é preciso mudar isso.

Omar Farias, 65 anos..... Oh oh oh, filme triste que me fez chorar! Oh oh oh filme triste que me fez chorar.


Conto com todas, cordialmente,


Marcelo Cerqueira, Grupo Gay da Bahia (GGB)

Comentários