SER GAY NÃO É ESTRANHO. Estranha é a homofobia!


SER GAY NÃO É ESTRANHO. Estranha é a homofobia!
Por Julian Rodrigues direto de São Paulo
Fonte: GGB
Salvador, Bahia, quarta-feira, 22h, 17 de agosto de 2011 - Ed Marcelo Cerqueira
Amar, gostar, beijar, dar e receber carinho. Ter prazer. Somos mulheres e homens. Iguais. Quem não quer ser feliz? Quem não quer ter o direito de procurar o que lhe dá tesão, o que lhe dá satisfação? Quem não quer amar e ser amado, gostar e ser gostado, desejar e ser desejado?
Gays? Não. Pessoas, somente. Lésbicas? Não, só gente.
Travestis? Não, apenas seres humanos. Estranho não é ser quem a gente é. Estranho é querer dizer como as outras pessoas devem viver e ser felizes.  Mais estranho ainda é discriminar alguém só porque essa pessoa é "diferente”. Mas, diferente para quem? Quem determina o que é o certo e o errado em termos de felicidade?


Na tradução a palavra estranho ou estranha quer dizer esquisito, diferente, anormal, doente, pervertido, sujo, pecador, perverso. Julian Rodrigues (foto)



Gente é pra brilhar. A Declaração Universal dos Direitos Humanos diz uma coisa linda: "todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos (...) devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade". Somos iguais na nossa humanidade. Mas, não somos iguais nos nossos sonhos, na nossa forma de ver o mundo, na nossa forma de vestir, de falar, de amar, de nos relacionar.

Somos diversos, plurais, maravilhosamente únicos. Mas somos todos seres humanos, com os mesmos direitos e deveres. Por isso, estranho não é ser gay. Nem lésbica. Nem bissexual, travesti ou transexual. Porque é tudo gente. Tudo humano. Todo mundo igual a todo mundo - e cada um do seu jeito. Estranho é ser preconceituoso. Estranho é não aceitar a maravilha que é a diversidade. Estranho é achar que uns são melhores que os outros.
Mais estranho ainda é querer dizer como as outras pessoas devem viver. Ninguém é fiscal da vida de ninguém. Por que uns não teriam direitos e outros teriam? Isso não é democracia. Chega de homofobia. Chega de preconceito.
Vamos viver e deixar que todos vivam! Direitos iguais, nem menos nem mais. Violência já era. Discriminação é coisa de gente atrasada. Viva a Parada Gay de Salvador - momento de celebrar a maravilha de ser igual, sendo diferente. Estranha, de verdade, é a homofobia.
Julian Rodrigues 

Comentários