Senador porto-riquenho anti-gay renuncia depois de escândalo


Senado Roberto Arango, Porto Rico, posa para foto com o ex-presidente Bill Clinton, no centro, em San Juan em abril de 2008. (Andres Leighton - AP)




O Senador Roberto Arango, de Porto Rico, que se opunha aos direitos civis dos homossexuais, tais como casamento entre pessoas do mesmo sexo e adoção por homossexuais renunciou ao cargo de senador esta semana, depois que fotos dele nú postadas num site de paquera gay app Grindr,apesar de dizer que não lembra se postou as fotos. 

Anteriormente, Arango havia votado contra a Resolução 99, uma proposta que impediria qualquer tentativa de permitir casamentos entre pessoas do mesmo sexo em Porto Rico.
------------------------------------------------------------
COMENTÁRIO DESTE BLOGUEIRO

Menos um. O desmascaramento dos hipócritas é só uma questão de tempo e oportunidade. Por aqui também temos os nossos. Não posso acreditar que pessoas que demonstram antagonismo gratuito contra os LGBT, continuamente reafirmando seu ódio ou repulsa através de ações que beiram à neurose, estejam apenas agindo por determinados princípios, por mais questionáveis que sejam. A meu ver, pessoas assim agem sob um impulso - refletido ou não - de auto-negação, uma tentativa insistente (não eficaz) de se afastarem do que temem ou desprezam em si mesmos. A luta contra o outro pode ser mantida no grito, mas a luta contra si mesmo já está perdida desde o começo. Mais cedo ou mais tarde, o indivíduo fará aquilo que reprova, porque gays não deixam de ser gays atacando outros gays ou jurando para si mesmos e para o mundo que são heterossexuais. Aliás, é ridículo que o façam. E mais ridícula ainda é duplicidade em que vivem. Quando descobertos, perdem a força da voz que tentava ensurdecer seus próprios ouvidos para o clamor de seus próprios desejos, e desaparecem da antiga cena pública, especialmente das "arenas de combates aos LGBT", cujas reivindicações são absolutamente legítimas.

Suspeite de quem gasta tempo, dinheiro e energia combatendo os direitos civis das pessoas LGBT, os quais não são outra coisa que não direitos humanos. Suspeite. Suspeite muuuiiito.

Comentários