Papa Bento XVI anuncia que vem ao Rio de Janeiro em 2013


Bento XVI avisou ao final de sua conturbada visita à Espanha que virá ao Rio de Janeiro em 2013. Isso custará milhões para os cofres públicos, uma vez que a visita do Papa não é por conta do rico Estado do Vaticano, mas dos pobres coitados dos países que historicamente se identificaram com o catolicismo romano. E a visita será justamente entre a Copa e a Olímpiada: marketing pessoal e institucional bem planejado, com alcance mundial, além de muito dinheiro borbulhando por aqui para Sua Santidade(?).

Na Espanha, os jovens fizeram um movimento contra a visita do papa e a favor da taxação da igreja no país, onde ela tem uma fortuna em imóveis e outros bens, mas é isenta de impostos. A Espanha está mergulhada em dívidas e esses impostos extras seriam muito bem-vindos. O papa foi ao país assim mesmo, mas não sem que se orquestrasse um movimento fabricado pelas paróquias para dar a impressão de que os jovens espanhóis estavam arrependidos das manifestações. Caravanas de vários países se reuniram no evento e deram a impressão de que a Espanha estava em massa representada lá.

Aqueles jovens que se confessaram e disseram que estavam arrependidos das manifestações nem eram manifestantes. Eram jovens das paróquias da Espanha e de fora fazendo cena para o mundo ver. Eu mesmo tive aluno meu que foi para a Espanha em caravana essa semana para bajular Bento XVI. Um monte de brasileiros, sem contar os de outros países.

Consideraram o evento um sucesso e quando o papa disse que vinha aqui em 2013, a caravana de brasileiros   vibrou como se fosse Copa do Mundo. Triste realidade de uma juventude alienada e anestesiada pelo aparato clerical cotidiano e papal de vez em quando.

Como eu digo, o único papa que é utilidade pública é o papa-defunto.

O Brasil tem que parar de sangrar dinheiro por conta de sanguessugas, sejam políticos, empresários ou clérigos. Essa cambada de malfeitores. 



Comentários

  1. Eu tentava pegar o metrô no Paraíso, uma estação já suficientemente complicada, que nesse dia estava repleta de "caravanas" das mais variadas vertentes católicas, todas querendo ir ao Largo São Bento ver o papa nazista que estava hospedado lá.
    Quando o trem chegou, já estava abarrotado de outras "caravanas", e tinha aquelas mulheres enfurecidas querendo entrar no trem, que não conseguia sair da estação de tanto empurra-empurra. A coisa estava pior do que na Sé às 18h.
    E no meio de tanto empurra, uma criança se machucou ao ser jogada pra dentro do trem.
    Esta é a lembrança que eu tenho da primeira visita desse papa nazista.

    ResponderExcluir
  2. É isso o que eles chamam de devoção? Isso faz lembrar aqueles muçulmanos que vão à Meca.

    Todo ano morrem centenas de pessoas nas peregrinações à Meca por causa de pisoteamento e por causa de uma cerimônia de apedrejamento de Satanás, na qual os muçulmanos acabam se apedrejando uns aos outros na ânsia de atingir o capiroto.

    Esses chamados líderes espirituais estão se lixando para o povo, mas o povo corre atrás deles como fazem os fãs com as celebridades. Ambos podem fazê-lo, mas não deixam de ser ridículos. Eu não me acotovelo em eventos por ninguém. O máximo que faço é ir à parada gay, porque é geralmente um evento sem grande ocorrências, dadas as proporções,e eu encaro como um evento político-social. Mesmo assim, chego cedo e saio cedo, ou então deixo todo mundo ir embora, enquanto desfruto alguma iguaria num restaurante, e só depois retorno.

    Por esses milionários da fé e outros semelhantes, jamais faria qualquer esforço!

    Valeu, Kummitus!

    Abração,
    Sergio Viula

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.