Um ateu na igreja (postado na Liga Humanista do Brasil)


Como é do conhecimento de quem já leu a entrevista que o Bule Voador fez comigo, fui pastor batista (entre outras coisas... hehehe) e há quase 8 anos tenho pensado e vivido ateu (não à toa...hehehe... piadinha infame!).

Quem não viu, confira aqui: http://bulevoador.haaan.com/2011/01/19677

Dia desses estava pensando sobre como é bom ter posicionamentos claros sempre que possível, mas transitar por qualquer ambiente e lidar com qualquer pessoa, apesar das divergências e independentemente de quaisquer alianças, ainda que estas possam ser efetivadas em algum terreno comum, desde que se queira. Explico:

Nos últimos dois anos, fui convidado quatro vezes para falar numa comunidade cristã chamada Comunidade Betel (Botafogo - Rio de Janeiro). Em todas as palestras contemplei o ateísmo de alguma forma, sendo que numa delas o Rev. Marcio Retamero pediu-me que falasse exclusivamente sobre ateísmo. Pasmem! Um ex-pastor agora ateu falando de ateísmo diante de uma congregação de crentes em deus. E foi um bate-papo fantástico! O encontro mais recente em Betel incluiu uma noite de autógrafos para o livro Em Busca de Mim Mesmo, o qual tem conteúdo ateu explícito... hehehe  E mesmo assim, muita gente comprou.

Em 2010 e 2011, estive no maior congresso ecumênico do Brasil (sem vínculo com alguma denominação): O Encontro para a Nova Consciência. No encontro de 2010 fiz duas palestras: uma para homoafetivos e outra para ateus e agnósticos. Em 2011, foram três: uma para homoafetivos novamente, só que  duas para os ateus e agnósticos. Eles disseram que queriam mais do que no ano anterior... hehehe Fiquei honrado e foi um prazer. Neste segundo encontro apresentei o livro para os dois grupos. Apesar do livro ser marcadamente uma obra LGBT, os ateus foram os que mais compraram. Muito mais do que os próprios LGBT do Encontro. Fiquei muito satisfeito em ver a aceitação e a curiosidade. Teve gente que antes do final do evento já tinha lido mais de 30 páginas do livro e me dizia que não via a hora de chegar em casa para continuar. Que gostoso saber disso! :)

Lá no 20 Encontro para a Nova Consciência, conheci o pastor Alexandre Cabral da Comunidade Presbiteriana Bethesda,  discípulo e herdeiro ministerial do falecido e querido pastor Nehemias Marien. Pois bem, essa semana, enquanto eu voltava do trabalho, em meio às loucuras comemorativas da vitória do Vasco da Gama, o pastor Alexandre me fez mais um convite inusitado: falar sobre ateísmo e direitos LGBT (dois assuntos distintos, mas não antagônicos) numa reunião hoje (12/06/11), à noite, em Copacabana.

Isso sem citar os inúmeros sites religiosos que publicaram entrevistas nas quais, além de falar da homossexualidade, falava abertamente sobre ateísmo. E muitos desses sites foram motivados a publicar as entrevistas por rancor ou indignação. Pelo contrário, alguns a publicaram por considerem o conteúdo coerente e produtivo. E isso inclui até sites de ex-membros de seitas totalizantes e totalitárias como as testemunhas de jeová, por exemplo, e que ainda são crentes...

Por que digo tudo isso?

Primeiro, para ilustrar como o ateísmo tem se tornado tema interessante para religiosos cansados do modelo atual de igreja ou religiosidade.

Segundo, para ilustrar como ateus podem estar inseridos em qualquer contexto e colaborar para um pensamento mais racional, esclarecido, livre de dogmas.

Terceiro, para questionar por que ainda nos dividimos tanto por tão pouco (entre nós ateus) se podemos dar as mãos e construir um Brasil laico na prática tanto quanto na teoria através de atitudes simples e ações cotidianas?

Não podemos nos enfiar num esterilizado tubo de ensaio e nos fechar hermeticamente para o que acontece a nossa volta. Também não podemos reagir somente batendo com o martelo da razão. E olha que eu bato; bato muito na religião lá no blog www.foradoarmario.net. Mas é preciso usar também os óculos da empatia para com aqueles que crêem sinceramente. Não custa nada nos colocarmos no lugar deles e tentarmos compreender por quê pensam e agem como o fazem. Aí, sim, poderemos dialogar cordialmente com os que se abrem para o pensamento livre. Como dizem que dizia Chê: Manter a firmeza sem perder a doçura... )

Desejo um ótimo domingo a todos! E que o Brasil seja mesmo um país de todos - como dizia até há pouco  o slogan do governo federal, porque se a gente bobear, os fundamentalistas, dogmáticos, fanáticos e milenaristas religiosos acabam transformando isso isso na República do Absurdo - leia-se teocracia!

Sergio Viula
Twitter: @SergioViula


-----------------------------


Adendo depois do culto


Além do carinho que me transmitiram os membros da comunidade que se reúne com o Pr. Alexandre Cabral e com o Pr. José (não me recordo do sobrenome... desculpem), eles tiveram paciência de me ouvir e alguns ainda adquiriram o livro "Em Busca de Mim Mesmo". Tudo foi produtivo. E até o modo como cultuam é diametralmente diferente de certas instituições mesquinhas que se arrogam o domínio e monopólio da verdade.


Parabéns aos que fazem essa comunidade uma realidade no coração de Copacabana.

Comentários