Vôlei Futuro pinta ginásio de rosa em homenagem a Michael


Equipe assume luta contra o preconceito durante jogo diante do Cruzeiro

SÃO PAULO - A diretoria do Vôlei Futuro não deixou passar em branco o episódio de homofobia envolvendo o jogador Michael. Neste sábado, na segunda partida da semifinal da Superliga masculina, em Araçatuba (SP), o Ginásio Plácido Rocha foi praticamente pintado com as cores do movimento LGBT.

Michael, que é homossexual e na partida da semana passada em Contagem (MG) havia sido chamado de "bicha" pela torcida adversária, foi o mais incentivado em quadra. Ele jogou bem e o Vôlei Futuro ganhou por 3 sets a 2 (19/25, 25/17, 21/25, 25/22 e 18/16).

No ginásio, a torcida do Vôlei Futuro exibiu uma grande bandeira com os dizeres 'vôlei Futuro contra o preconceito'. O público também exibiu bexigas na cor rosa com o nome de Michael.

Em quadra, o time paulista utilizou um uniforme de treino rosa antes do início da partida. Já o líbero Mario Jr. Usou uma camisa com as cores do arco-íris, um dos símbolos do movimento LGBT.

 Camisas cor-de-rosa



O arco-íris na camisa



Arco-íris depois da tormenta homofóbica do último jogo.


A torcida levanta a bandeira do arco-íris.


Entusiasmo e companheirismo!

Comentários

  1. Sem dúvida um lindo momento de companheirismo e solidariedade.
    Comovente!

    Beijos, amigo

    ResponderExcluir
  2. Isso aí, ManDrag. E também a prova de que não é tolerância a palavra-chave para uma sociedade saudável, mas RESPEITO. Tolera-se aquilo que incomoda, mas não se muda. Respeita-se aquilo a que se dá valor. E nesse dia, a torcida mostro que dá valor à diversidade!

    Beijo,
    Sergio Viula

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.