Nazifacistas são presos em ato pró-Bolsonaro em São Paulo


Estrelas ninjas encontradas com manifestantes Nazistas



Manifestação em favor do deputado Jair Bolsonaro termina em tumulto e detenções na Paulista, em SP

SÃO PAULO - A manifestação em defesa do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) realizada neste sábado na avenida Paulista, em São Paulo, acabou em confusão e detenções. O protesto foi organizado por grupos conhecidos como "ultradefesa", "união nacionalista" e "carecas". Eles afirmam defender os "direitos da família".

Onze manifestantes foram levados pela polícia para identificação e averiguação, após serem identificados por investigadores como suspeitos de outros crimes. O deputado envolveu-se em uma polêmica ao participar do programa 'CQC' e dizer que seus filhos não correm o risco de 'namorar negras'.

Além disso, pedaços de madeira, metal e "estrelas ninja" foram apreendidos pelas autoridades, que policiaram a área e formaram um cinturão para evitar o confronto com um grupo de ativistas gays, que compareceram para denunciar a homofobia. O grupo anti-bolsonaro, com cerca de 50 pessoas, chamou o protesto de "racista" e "fascista".

Além do policiamento em todo o trecho da Paulista, cerca de 30 policiais civis e militares, alguns à paisana, circularam no vão do MASP, onde o protesto aconteceu. De acordo com policiais que estavam no local após a dispersão da manifestação, oito pessoas foram identificadas por envolvimento em atividades sob investigação, que incluem a participação violenta em outros protestos de caráter racista ou homofóbico, inclusive no manuseio de artefatos explosivos. Um deles foi identificado como "Johnny". Outras três pessoas seriam do movimento anarquista e se recusaram a informar ou mostrar documento de identificação.


No programa 'CQC', da TV Bandeirantes, no mês passado, Bolsonaro afirmou que não discutiria "promiscuidade" ao ser perguntado pela cantora Preta Gil, sobre como reagiria caso o filho namorasse uma mulher negra. Bolsonaro também disse, no programa, que os filhos dele não são gays porque tiveram uma boa educação.

Comentários

  1. José de Almada Negreiros, poeta português do século passado, dizia num dos seus mais emblemáticos poemas: "a família é lastro, deita-a fora e vais ao céu!" Eu sempre partilhei da mesma opinião.
    Se família é isso que essa gente reaccionária e fascizoide apregoa, então que seja mesmo: Morte à família!
    A dogmatização de tradições intolerantes e odiosas não pode ser permitida. É tempo de a humanidade assumir a sua identidade racional e avançar na conquista do seu verdadeiro lugar no universo. Que cada um seja responsável pelos seus actos e sujeito ao escrutínio da ética.

    Beijos, amigo

    ResponderExcluir
  2. É Mandrag,

    Essa gente chama de família uma filial do inferno criada por eles para torturar e dobrar indivíduo à semelhança dos porões da ditadura.

    Aliás, aqui no Brasil o lema que a direita conservadora adorava apregoar em tempos de ditadura era: Deus, família e pátria. Era especialmente o slogan preferido pela igreja. O tripé da subjugação do sujeito que, em vez de ser sujeito de sua autonomia, estava sujeito à dogmática político-religiosa dos governantes e sacerdotes, ambos de mãos dadas - com raríssimas exceções.

    Obrigado pelo comnentário inteligente e provocador, MandDrag!!!

    Beijo,
    Sergio Viula

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.