Igreja americana se recusa a assinar casamentos héteros até legalização do casamento gay



26.04.2011 | Texto por Luiz Filipe Tavares Fotos Divulgação 
Divulgação/DBCC





Douglas Boulevard Christian Church, em Louisville, Kentucky


Surpreendendo toda a comunidade cristã do estado do Kentucky, no interior dos Estados Unidos, a Douglas Boulevard Christian Church anunciou que não vai mais assinar licenças de casamentos na cidade de Louisville enquanto não houver leis mais flexíveis em relação à legalização do casamento gay no país. Ligada ao grupo protestante Discípulos de Cristo, que reúne quase 700 mil membros nos EUA, a igreja é a primeira da congregação a se manifestar dessa forma sobre o assunto e a decisão de cancelar licenças de casamento foi tomada pelos próprios fieis em assembleia.

A igreja Douglass Boulevard, entretanto, continua realizando cerimônias religiosas de casamento entre pessoas do mesmo sexo e de sexos diferentes. A ação da congregação se limita ao aspecto legal do casamento. Sem a licença da igreja, os fiéis que se casam são obrigados a recorrer aos cartórios civis para legalizar o contrato de casamento. De acordo com o ministro Derek Penwell, maior clérigo da igreja, a decisão pretende chamar a atenção da população americana sobre as discrepâncias de direitos entre casais homossexuais e heterossexuais.

"Nosso sistema anterior nos forçava a dizer para todos os gays e lésbicas em nossa congregação: só podemos fazer as coisas em parte para vocês", explicou o pastor em entrevista a uma rádio local. Em um comunicado oficial no site da igreja, o ministro adjunto Ryan Kemp-Pappan reforçou a ideia dizendo que "como uma comunidade aberta e afirmativa de sua fé, nossa igreja é comprometida em tratar homossexuais e heterossexuais igualmente. Nossa congregação acredita que é injusto prover serviços diferenciados para os casais hétero enquanto não podemos fazê-los para os casais gays." 

"Casais heterossexuais têm direito a inúmeros benefícios que resultam de ter uma união sancionada pelo estado. Eles podem herdar propriedades, adotar crianças juntos, visitar uns aos outros no hospital e economizar milhares de dólares em impostos pagando suas taxas como casal. Ministros, como agentes do estado, tem poder para conceder esses benefícios para heterossexuais, mas não temos a honra de fazê-lo com casais gays", completou ainda o Reverendo Derek Penwell, no mesmo post no blog da igreja Douglass Boulevard.

A decisão da igreja já atraiu a atenção das comunidades cristãs dos EUA para esse delicado assunto. Pouco a pouco, algumas instituições evangélicas estão literalmente saindo do armário e mostrando que existem sim cristãos moderados livres de preconceitos. Com a manifestação, a congregação mostrou que está disposta a livrar-se de dogmas antigos em nome do bem comum, dos direitos civis e das liberdades individuais. Para a alegria dos progressistas, enfim os religiosos moderados estão se levantando contra os fanáticos.

-----------------------
COMENTÁRIO DESTE BLOGUEIRO

Parabéns a essa igreja!!! É raro podermos parabenizar uma igreja cristã por uma atitude como essa. Isso, porém, está mudando... felizmente!!!!

Tomara que outras sigam o mesmo exemplo, principalmente no Brasil.

Direitos iguais. Nada mais e nada menos!

Comentários

  1. Inédito!
    O exemplo tem de vir de quem de direito e dos agentes de autoridade.
    Enfim, ainda há esperança!

    Um abraço, meu amigo e desculpa não estar sendo tão assíduo nos comentários.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, ManDrag! É sempre bom ter vc por aqui!!!

    Abraço grande,
    Sergio Viula

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.