Homofobia na internet é passível de punição


Sergio Henke Lutzer, 34 anos, estudante de Engenharia Civil da Universidade de Santa Maria (RS), foi internado no Instituto Psiquiátrico Forense de Porto Alegre preventivamente pela Polícia Federal, por ter perfis homofóbicos e racistas na internet, além de apresentar transtornos psicológicos.
Lutzer, que deveria estar cumprindo uma medida de segurança por ter sido condenado por uma tentativa de homicídio, parou de fazer o tratamento e voltou a expressar manifestações de violência.
Em razão do perfil potencialmente criminoso, a polícia conseguiu um mandado de busca e apreensão em sua residência.
De acordo com delegado Gustavao Schneider, da Polícia Federal, Lutzer resistiu à prisão ao ser abordado por oito agentes. Ele foi encaminhado primeiramente para ao Hospital Universitário de Santa Maria (Husm) e, no sábado, ao Instituto Psiquiátrico.
A UFSM suspendeu a matrícula de Sérgio Lutzer no curso. Na ordem judicial consta que ele deve ficar internado por dez dias, mas esse prazo pode ser prorrogado conforme a evolução do tratamento.

Comentários

  1. O caso é bastante interessante, não apenas pela questão da homofobia e racismo, o histórico de vida em si do agressor já chama atenção.

    ResponderExcluir
  2. Menos um espalhando ódio... pelo menos assim espero. ;)

    Obrigado, Pretérito!

    Abraço,
    Sergio Viula

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.