Firma contratada pelo Partido Republicano para derrubar a decisão de Obama de que impedir o casamento entre pessoas do mesmo sexo é ilegal se retira do caso

A firma King & Spalding funciona nesse prédio

 1180 Peachtree Street
Atlanta, GA 30309

O Partido Republicano, considerado conservador e franco opositor aos direitos dos LGBT nos EUA, contratou a firma de direito King & Spalding para construir de modo minucioso um processo contra a decisão de Barack Obama de que impedir o casamento entre pessoas do mesmo sexo é inconstitucional. A firma possui 800 advogados e é reconhecida como líder na área do Direito.

O presidente da empresa, Robert Hays Jr., porém decidiu abandonar o caso depois que grupos de defesa dos direitos gays anunciaram a decisão de fazerem um protesto em Atlanta e começaram uma campanha baseada em telefonemas para clientes da empresa. A King & Spalding é uma empresa conhecida por possuir advogados gays assumidos em seu quadro de funcionários e clientes gays que utilizam seus serviços.

Os conservadores logicamente criticaram a decisão da empresa de abandonar a construção do processo que pretendia convencer os juízes de que o casamento entre pessoas do mesmo sexo era inconstitucional, contrariando a decisão do presidente Barack Obama como  líder do Executivo.

A mão de obra recrutada para o "telemarketing" contra o caso e contra a decisão inicial da empresa foi recrutada entre as associações estudantis de alunos gays de faculdades de Direito. Estudantes que estão se preparando para tornarem-se advogados começaram a contatar clientes da empresa para divulgar a decisão da mesma.

O representante dos Republicanos escolhido para coordenar a construção desse processo anti-casamento gay junto à firma de Direito é Paul Clemente, um oficial do Departamento de Justiça (algo como o Ministério da Justiça aqui no Brasil) que trabalhava na administração do ex-presidente George W. Bush. 

Paul Clemente que foi mantido por um comitê parlamentar ao custo de $ 520,00 por hora (quinhentos e vinte dólares por hora) disse que vai mudar para outro escritório de Direito a fim de que possa continuar o trabalho.

Fonte: The Associated Press
Tradução e adptação para o blog Fora do Armário: Sergio Viula



Comentários

  1. Mas que coisa não é? Ainda bem que eles desistiram dessa palhaçada a tempo!

    ResponderExcluir
  2. Felizmente... E tomara que pare por aí mesmo.

    Abraço, Serginho!!!
    Sergio Viula

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.