Lady Gaga cancela importante contrato para defender os LGBT


Lady Gaga with designers Nicola Formichetti and Sebastien Teigné in Paris. Photograph: Francois Mori/AP

Lady Gaga cancelou um acordo importante com um varejista americano chamado Target. Segundo ela, isso foi devido ao parco apoio da companhia aos direitos gays. Target, que distribuiria uma versão exclusiva ainda a ser lançado, tem sido criticada por doações a grupos políticos vistos como anti-gay.

"Através de todo o processo, [Gaga] permaneceu fiel ao seu público. Eu acho que ela é uma pessoa de grande integridade, e penso que as pessoas reconhecerão isso." - disse o publicitário Bob Witeck.

A empresa Target é famosa por ter doado 150 mil dólares (92.587 libras inglesas) ao grupo  MN Forward, um grupo de lobby que apoiou Tom Emmer em sua campanha para governador de Minnesota em 2010. Emmer, que perdeu a eleição, era um assumido opositor ao casamento gay.

"Parte do meu acordo com a  Target é que ela tem que começar a se filiar a grupos de caridade LGBT," disse Lady Gaga ao Billboard na época de seu pronunciamento sobre o cancelamento."Nosso relacionamento está condicionado à reforma da companhia para apoiar a comunidade gay e para redimir os erros que eles cometeram apoiando aqueles grupos."

Mas, apesar da Target ter feito contribuições para organizações como o  Project 515, que defende o casamento entre pessoas do mesmo sexo, um porta-voz não pôde garantir que o varejista não continuaria apoiando candidatos com histórico de votos anti-gay.

O terceiro álbum de Lady Gaga, Born This Way, está previsto para 23 May. Elton John descreveu seu single titular como "o novo hino gay".


Tradução e adaptação para este blog: Sergio Viula

Comentários