Homem suspeito de ser gay é impedido de entrar no Museu da Criação

Creation Museum, Kentucky

Uma viagem a um museu no norte de Kentucky não saiu como o planejado para um homem de Louisville e seus amigos. Eles disseram que foram impedidos de entrar num evento no Museu da Criação porque um segurança pensou que eles fossem gays. Duas das pessoas envolvidas estão alegando discriminação. Tudo isso aconteceu no Museu da Criação no norte de Kentucky. Um homem  heterossexual de Louisville disse que se sentiu discriminado depois que - conforme ele disse - um funcionário recusou sua entrada no evento chamado "noite de namoro", porque presumiu que ele e seu amigo eram um casal gay.

Tradução: Sergio Viula (fonte: Big Gay News) para o Blog Fora do Armário

----------------------------------------------

COMENTÁRIO DESTE BLOGUEIRO.


Casos assim só ilustram o que eu costumo dizer: se um direito está ameaçado, todos os outros direitos também estão. E se um indivíduo ou grupo humano está privado de algum direito, todos os outros podem sofrer a mesma coisa. E nesse caso especificamente foram os heterossexuais que sofreram com a homofobia, ou seja, basta se presumir que alguém seja gay para discriminá-lo. Aí, como no tempo da caça às bruxas, durante o qual nenhuma mulher estava segura, nesse caso, por causa da homofobia, ninguém está seguro... nem mesmo os heterossexuais que sejam tomados por homossexuais pelo juízo (ou falta de) do homofóbico de plantão. 

Heterossexual inteligente defende os direitos civis para todos. Heterossexual inteligente defende a aprovação da PL 122, a união civil, e outros direitos, porque sabe que se a homofobia continuar ganhando terreno, amanhã ou depois poderá ser ele/ela (ou seu filho ou sua filha) quem vai para a fogueira da homofobia sem sequer ser homossexual.

Homossexuais (LGBT em geral) e heterossexuais têm que ter seus direitos garantidos, porque quando um deles sofre violação, isso já é ruim o bastante, mas pode ficar ainda pior se o homofóbico, sentindo-se livre para discriminar os verdadeiros LGBT, acabar discrimando todos aqueles que eles SUPONHAM que o sejam.

O Museu da Criação foi criado e é mantido por setores da ala evangélica americana de direita, que é homofóbica e ateofóbica. Eles repudiam a esmagadora evidência científica que dá suporte ao evolucionismo e outras descobertas científicas que colocam em xeque as superstições bíblicas que eles pregam. E não adianta se empolgar com o fato de que eles admitem terem existido dinossauros no planeta, porque eles o fazem com uma mentalidade de desenho animado, tipo "Os Flinstones". Isto quer dizer que para evitar a incontornável ideia da evolução das espécies por seleção natural, eles colocam os dinossauros e os homens vivendo no mesmo ambiente e ao mesmo tempo. Só falta Adão chegar em casa e gritar: Evaaaaaaaaaaaaaa! E ser recebido pelo Dino que monta em cima dele e lambe sua cara dando boas-vindas ao chefe da casa... Isso é ridículo, mas eles têm o direito de pensar como quiserem desde que não estejam discriminando quem quer que seja. Isso, porém, não parece suficiente para esses fiscais da cama alheia. Não só pretendem dar um ar de cientificidade à superstição, eles ainda querem identificar, rotular e impedir de ir e vir quem considerarem ser gay. Isso é violação dos direito civis e do próprio espírito da constituição americana que diz que todos os homens são criados iguais. Veja que a constituição usa o termo "criados iguais", mas nem mesmo no Museu da Criação parece que eles acreditam nisso...

Sofreu discriminação? Não se acanhe. Acione a justiça e faça valer o seu direito. Só assim os preconceituosos aprenderão a respeitar. O que aconteceu a esse grupo em Kentucky por discriminação homofóbica já aconteceu com os negros também. Estes nem mesmo acesso a um banco no ônibus tinham. Foram essa e outras coisas que levaram Martin Luther King a encabeçar o movimento pelos direitos civis dos negros. E assim, como King, Harvey Milk foi assassinado por encabeçar o movimento de emancipação homossexual na cidade de San Francisco. Hoje, se alguém discriminar um negro vai até para a cadeia. Não se iluda... teve muito branco racista se opondo ao avanço desses direitos, exatamente como acontece hoje com os setores homofóbicos contra os direitos civis dos LGBT.

Se os seus ouvidos não sentem horror e se o seu coração não sente fúria quando ouve asneiras do tipo que Silas Malafaia, Rozângela Justino, Júlio Severo, Jair Bolsonaro e seus asceclas falam, você não é melhor do que aqueles brancos racistas que não viam nada de errado com a Ku Klux Klan. Abra sua cabeça, porque amanhã ou depois pode ser o seu pescoço na guilhotina dos preconceituosos.

Comentários

  1. De mentalidades tacanhas não seria de esperar outra coisa!
    Os evangélicos como proprietários do recinto podem ter a reserva do direito de admissão (quer dizer que só deixam entrar quem quiserem) mas os outros têm o direito de boicotar e não frequentar um lugar que não tem outra finalidade senão lavagem de cérebros incautos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Mas existem regras para locais abertos ao público, especialmente de cunho cultural. Os homens discriminados podem recorrer à justiça por causa do constrangimento ou assédio moral da parte do staff do museu.

    Vlw pelo comentário, ManDrag!

    Abração,
    Sergio Viula

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe suas impressões sobre este post aqui. Fique à vontade para dizer o que pensar. Todos os comentários serão lidos, respondidos e publicados, exceto quando estimularem preconceito ou fizerem pouco caso do sofrimento humano.